sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vamos ajudar o Fábio

O Fábio é sobrinho de duas senhoras que já conheço há muitos anos. Teve um acidente de viação, no fim do ano passado e, agora, vai para Cuba fazer tratamentos.
Para tal, precisa de ajuda.

Este fim-de-semana, durante a Feira do Monte, na cidade de Santiago do Cacém (concelho natal do Fábio e meu, também), o Fábio e amigos vão ter uma banca a vender de tudo um pouco. Todos os lucros reverterão para ajudar o Fábio.
Passem por lá, bebam uma cerveja, comam uma bifana, comprem um pote de mel, brincos e objectos decorativos para oferecer no Natal e, claro, a t-shirt "Eu ajudei o Fábio, e tu?"

Links do Facebook:
Vamos ajudar o Fábio

Espaço Solidário Os Amigos do Fábio


Abaixo, segue cópia da carta que foi publicada no Facebook, que explica toda a situação

"Caros colegas e amigos,

Dirijo-me a vós para vos contar uma história triste mas que, com a vossa ajuda e solidariedade, pode ter um final feliz.

O Fábio Ventura, é um Agente da Polícia Marítima, com 25 anos de idade, que no passado dia 21 de Outubro de 2010, sofreu um grave acidente de viação na cidade da Horta e que o lançou numa cama impedindo-o de realizar os mais elementares movimentos sem a ajuda de terceiros.

As lesões sofridas, vértebras C4, C5 e L4, apontavam para um cenário de tetraplegia que evoluiu favoravelmente, já conseguindo alguns movimentos nos membros superiores.

A força de vontade dele próprio e o apoio familiar, tem sido o pilar da sua recuperação.

Acreditamos que muito mais pode ser alcançado se, depois de avaliado, for seguido um tratamento e até uma cirurgia recuperativa.

Surgiu a hipótese de isso acontecer numa clínica cubana, cuja experiência noutros casos semelhantes, resultou em verdadeiros êxitos, diria, milagres da medicina.

Nesta primeira fase, a deslocação, internamento, avaliação e alojamento, quer dele, quer do familiar que o acompanhe, tem um encargo, no mínimo de 50.000,00 Euros.

O seguro da viatura própria em que ele seguia e conduzia, apenas cobria terceiros e outros ocupantes, logo, ele não está abrangido por esse mesmo seguro.

Sei que vivemos uma época de crise, onde muitos de nós queremos o chegar ao fim do mês com o suficiente para as nossas necessidades básicas.

Mas também sei que podemos prescindir do café da tarde, dum ou outro cigarro, da ida ao cinema e auxiliarmos este nosso amigo e colega.

Podemos fazer a diferença.

Vamos fazer a diferença.

Colabora, fazendo um depósito na conta (0007 0000 00042853437 23).

Se não poderes contribuir monetariamente, não deixes de reencaminhar esta carta."