segunda-feira, 29 de abril de 2013

Spring Cleaning - dia 3

Apesar de, ainda, com muita preguiça, consegui concluir pequenos/médios projectos:

2 prateleiras do armário da sala onde guarda tudo o que quero ir escondendo da vista
- papelada e mais papelada, cartões de visita e catálogos (reciclagem, no âmbito da campanha Papel por Alimentos, do Banco Alimentar)
- lápis (doar)
- colar de botões (que desfiz, devido ao mau estado e guardei num frasco de vidro à espera da decisão final)
- peça de metal (reciclagem)


Prateleira da cozinha com a mesma utilidade
- mais papelada, talões de supermercado e de descontos, catálogos e revistas (reciclagem Papel por Alimentos)
- pilhas (reciclagem)
- chapinhas de carrinhos de supermercado (devolver ao supermercado)
- rádio antigo, antigo - oferecido pelos meus pais quando fiz um 15 ou 16 anos, mas que mal funciona (reciclar)
- autocolantes para pôr no carro (doar)


Despensa
- comida fora de prazo (lixo)
- nozes (vou dar aos meus tios)
- roupa estragada pelas pinturas feitas na casa há já bastante tempo (para a minha mãe fazer panos para as limpezas)
- pilhas e rolhas (reciclagem)
- óculos rosa (devolver a quem me emprestou para usar num projecto artístico)
- cesta sem uma das asas (usar como auxiliar nas arrumações; depois, logo se vê)


Cómoda do quarto das visitas
- pasta (doar)
- pegas feitas pela mãe com restos de tecido (doar, pois tenho muitas)
- panos de pó (doar)
- tecidos (doar ou vender)
- pregadeiras artesanais (vender)


É impressionante a quantidade de coisas que se vai guardando, por preguiça de arrumar e organizar e por pena de retirar de dentro de casa... e isto, poucos meses depois de ter dado grande volta a estas divisões da casa no âmbito do projecto Antes e Depois.

domingo, 28 de abril de 2013

Spring Cleaning - dia 2

Ontem, a limpeza continuou no quarto: roupeiro e gavetas.
Lá saíram mais umas quantas coisas que eu já não visto, que nunca utilizei ou que estão estragadas.
 - mantas/colchas brancas, em casa de quem só coabita com gatos pretos, não é grande ideia (vão voltar para casa da mãe);
- imensas meias sem par (aguardam pelo fim da limpeza; depois, se continuarem sem par - lixo);
- roupa interior estragada (lixo);
- 3 toalhas de rosto e bidé que já não têm toalha de banho (doar);
- 2 saídas de banho (doar);
- lençóis, tipo cetim, roxos que nunca usei nem irei usar (doar ou vender; tenho pena, pois foram presente da minha avó, já falecida; mas, ela deveria ficar mais feliz se os lençóis fossem usados do que estarem a ganhar pó no fundo de um roupeiro);
- calças de treino brancas, nunca usadas; e, tendo em conta, a questão dos gatos pretos, também, não é boa ideia continuarem cá em casa (doar ou vender).





Infelizmente, o contentor para roupa que fica mesmo aqui ao lado, deixou de ser opção. Ontem, passei de carro e vi um monte de roupa no chão. Não sei se quem depositou deixou no chão ou se os maravilhosos habitantes da zona se encafuaram dentro do contentor e tiraram a roupa, deixando o que não lhes interessava, no chão. Estou mais inclinada para a segunda opção.
Terei de guardar até ir ao Centro Paroquial de Carcavelos. Lá, tenho mais certezas de que as coisas serão aproveitadas.

sábado, 27 de abril de 2013

Spring Cleaning - dia 1

A preguiça é mais que muita e a desarrumação e desorganização apoderaram-se de mim.
Então, nada melhor que uma limpeza de Primavera. Não sei se vou concluir todos os projectos (que são, basicamente, dar a volta à casa toda), mas, pelo menos, já comecei.

Não sou muito boa a fazer planos e, muito menos, a cumpri-los, por isso, esta limpeza vai ser ao sabor do vento, para evitar as frustrações de projectos não concluídos ou nem iniciados.

Ontem, ataquei o roupeiro do quarto... parcialmente.
Saíu tudo cá para fora, foi aspirado e voltou, quase tudo, lá para dentro.
Ainda, há arrumações para fazer (a concluir, hoje), mas já há uma bela pilha de coisas para dar e deitar fora.

Detesto deitar fora, porque, na realidade, trata-se, apenas, de colocar noutro sítio que não na minha casa; pior, trata-se de deitar coisas em aterros, coisas que vão demorar anos a degradar-se... não gosto!

 

Os chinelos (ambos os pares) foram, mesmo, para o lixo, porque não há remédio.
Há camisolas, pijamas e calças para dar (4 de cada), que estão em bom estado (recentemente, foi colocado um depósito (caixote) de roupa para doar, mesmo ao lado de casa, junto à igreja - vão para lá, ainda, hoje, se conseguir).
Há calças (2) que, se não fosse terem as baínhas desgastadas, estariam óptimas para dar. Não sou capaz de dar. Parece muito mal dar coisas que precisam ser reparadas? Basta cortar e fazer baínha... Que vos parece?
Caso contrário, posso sempre, usar para panos (assim como 1 camisola manchada de lixívia)... hummm... eu não uso, assim, panos... vou tentar saber se alguém precisa... não queria mesmo deitar para o aterro...

Aproveitei, também, para organizar os marcadores de livros... mais ou menos. Faço colecção de marcadores de livros que guardo numa caixa no escritório. Fui ver e tinha uma série deles repetidos, ou melhor, 62 (alguns repetidos várias vezes!)!
Alguns (27), vou dar a um amigo que, também, faz colecção; 2 foram para o lixo, por estarem estragados e 33 estão à venda, online!