quinta-feira, 22 de junho de 2006

Acontece...

Eu fui ao teu desencontro
Pra não te ver. Nunca mais!
Pra mostrar que sou dos tais
A quem dói o cotovelo
Eu fui ao teu desencontro
Para te desencontrar
E para descobiçar
As ondas do teu cabelo

Eu fui ao teu desencontro
Porque nada me dizias
Passa bem nem os bons dias
E fingias não me ver
Eu fui ao teu desencontro
Só para te desfalar
Para me desabraçar
Dos teus braços de mulher

Às vezes
Até parece
Que não vai dar
Não apetece
Não
E quando vamos largar
É que tudo acontece
Às vezes
Até parece
Que amamos fora de mão

Eu fui ao teu desencontro
Sem uma ponta de despeito
Nem sequer vi no teu peito
O coração de rubis
Eu fui ao teu desencontro
Só para te desbeijar
Para me descompassar
Da dança dos teus quadris

Quando nos desencontrámos
Deu-se a química secreta
Essa fórmula discreta
Em que somos equação
Pomos lá tudo o que temos
O que queremos e não queremos
E acabamos mais ou menos
Ao encontro da paixão.

Acontece - Luís Represas

4 comentários:

Horas Vagas disse...

Deixa-te disso!
Trovante é melhor!!!
Queres uns discos?

restolho disse...

Quero, quero! Sabes que sim...

Filipa Cordeiro disse...

Lindo, lindo, lindo...

Batista disse...

"Enquanto for só ternura de Verão eu vou..."

Aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=cuoucgArRRU