quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado


Uma história de amor de um gato e de uma andorinha, escrita, por Jorge Amado, como presente de aniversário para o seu filho.
É uma história gostosa, com bastante ritmo e com uma narrativa fora do vulgar.

Para além da bela história, o livro está recheado de belíssimas ilustrações, de Carybé.

Pág. 17
" (...) exibir o quê, se tudo anda à mostra e quanto mais se mostra menos se quer ver? Quem sabe, as gerações futuras lutarão contra o visível e o fácil, exigindo, em passeatas e comícios, o escondido e o difícil."

Pág. 61
"Desejo dizer que há gente que não acredita em amor à primeira vista. Outros, ao contrário, além de acreditar afirmam que este é o único amor verdadeiro. É que o amor está no coração das criaturas, adormecido, e um dia qualquer ele desperta, com a chegada da Primavera ou mesmo no rigor do Inverno. Na Primavera é mais fácil, mas isso já é outro tema, não cabe aqui.
De repente, o amor desperta de seu sono à inesperada visão de um outro ser. Mesmo se já o conhecemos, é como se o víssemos pela primeira vez e por isso se diz que foi amor à primeira vista."

Pág. 75
"O Tempo é um ser difícil. Quando queremos que ele se prolongue, seja demorado e lento, ele foge às pressas, nem se sente o correr das horas. Quando queremos que ele voe mais depressa que o pensamento, porque sofremos, porque vivemos um tempo mau, ele escoa moroso, longo é o desfilar das horas!"

Sem comentários: